quarta-feira, 18 de julho de 2012

CORES

Os homens pintam o espaço com as suas cores
São semelhantes no tom que se espalha
Há uma reunião de cinzas sobre a superfície
Lá e cá, uma cor de pureza e alegria

Há cores que rareiam, extinguindo-se
Mas que mexem comigo lá no íntimo
Hoje não quero chorar

O tempo me engana com sua matiz apática
Seus sinais nunca são claros
Será que vai chover?

Elói Alves

2 comentários:

  1. Cinza que nos remete para além do tom, pesa no ar que se nos torna irrespirável. A massa humana não aspira as cores brandas e brilhantes que buscamos no horizonte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito grato, Ira, sempre gentil, amiga! abraços!

      Excluir

Postagens populares (letrófilo 2 anos 22/6)